Fotografia em Palavras

visões sobre a prática fotográfica, por Ivan de Almeida

Nós não somos uma câmera.

with 2 comments

Nós não somos uma câmera.

Ivan de Almeida, fevereiro de 2016

No quarto das crianças, em Vassouras, eu, menino, deitado na cama via a pequena poeira flutuando no ar pela manhã, quando entravam pelas frestas da janela os raios de sol.

P1130194

 

Para bem entendermos a composição fotográfica, é preciso que entendamos a forma como olhamos. Nós não somos iguais à câmera fotográfica que, no mesmo instante, vê tudo. Nosso olhar é um exame onde há uma hierarquia. Um contexto é examinado de acordo com a hierarquia, e não de acordo com a perspectiva. A perspectiva, ou melhor, a noção de distância, ajuda a hierarquizar mas não manda, apenas é um dos vetores da percepção.

Este artigo nasceu de uma fotografia que fiz há poucos dias em uma brincadeira que foi fotografar com uma câmera simples enquanto esperava a barca que liga o Niterói ao Rio de Janeiro. Ali, na estação de Niterói, esperando para voltar fotografei. Foram três fotos quase iguais e dos mesmos elementos, e só variam ligeiramente na posição da câmera, uma câmera pequena e simples, uma Panasonic FH24.

Quando fotografamos, ou falando na primeira pessoa do singular, quando fotografo rapidamente hierarquizo o conteúdo. É uma coisa bastante rápida, pois nós nos educamos com o tempo, e, se lá no passado eu tinha que pensar nessa ordem buscada, a coisa vai se tornando uma natureza nossa, natureza do nosso olhar fotográfico, e torna-se quase instantânea. A fotografia de rua precisa dessa introjeção do treinamento, coisa que adquirimos com o tempo. Ninguém nasce com o dom compositivo. A composição provém de costumes, pois quando inconsciente reproduz os costumes sociais, a convenção social de fotografia. Quando estudamos a percepção, nos educamos com outros princípios de ajustes sociais que são menos desenvolvidos e conhecidos.

Qual a diferença? Tomemos, como exemplo, um templo na Grécia. O turista comum o olha, tem o deleite de contemplar o belo, recorda, mas não sabe a razão do deleite. O estudioso da arquitetura grega busca, é claro que também tendo o deleite, reconhecer as proporções da arquitetura grega, estudadíssimas. O jogo de proporções entre a coluna e o todo, entre as partes de cada coluna, coisas desconhecidas da maioria, mas estudadas na arquitetura grega e posterior. Quando fiz faculdade de Arquitetura, nós reproduzíamos o desenho de uma coluna Dórica, Jônica para nessa reprodução aplicarmos as regras de proporcionamento entre as partes. Não é “eu acho”, é uma regra clara na composição das colunas e dos templos e construções.

É um examinar semelhante que será empregado nesta foto, não uma foto brilhante, mas interessante de ver. Um examinar que mostrará que olhar é um processo, e não um instante.

Temos nela três pontos principais de atenção, que brigam, no bom sentido, entre si. 1) O vulto da pessoa em primeiro plano, misturada nos demais, porém mais perto; 2) o rosto do anúncio, mais iluminado, 3) o ambiente e barca lá fora. O olho, ao olharmos a foto, pula de lá para cá e termina no rosto iluminado, mas passa pelo vulto de costas, pela paisagem. A palavra brigam usada aqui não é no sentido negativo, mas sim destacando o fato de haver uma coisa olhada, outra coisa olhada e outra, e, aí o interessante, não vemos tudo ao mesmo tempo. O olhar vai pulando de parte à outra parte.

P1130194b

É essa a questão interessante, sabermos examinar a forma como vemos. É importante porque esse saber é uma grande ferramenta da análise e da composição. Para compor, acima de certa complexidade, é preciso entender a forma como examinamos uma cena.

A fotografia em si é muito útil, fotografar é útil, porque nos ensina a ver como vemos a partir de um ver que não vemos. Nós não vemos como a câmera, mas mesmo na câmera vemos um tanto como no mundo, pulando dos objetos principais, de um para o outro. Paradoxalmente, é impossível ver esta foto de uma vez só.

Nossa visão comum é pouco examinada. Nós não fomos educados ou informados do fato de termos uma parte muito pequena da visão que é nítida, e que para conhecermos um ambiente, mesmo parados, os olhos precisarem mudar o foco e mudar sua direção. Mas essa é a verdade. Nós variamos a direção e o foco tão automaticamente que parece que tudo é focado, pois, afinal, quando olhamos para algo focamos esse algo.

No caso do olhar, é necessário prestar atenção no movimento do olho, porque este ver localizado não é só a atenção, é o direcionamento do olho, é a pupila que fecha e abra, fecha para ver a barca, abre para ver o cara de costas ou o anúncio, o olho se direcionando também.

A feitura de uma imagem fotográfica é algo um tanto derivado do conhecer perceptual. Pode ser um conhecer ensinado, pode ser um conhecer relacionado ao funcionamento ocular. Mas a composição ao fim e ao cabo é um arranjo do modo de percebermos uma foto. Há coisas incríveis que demonstram isso, uma delas é a descrição de uma foto vista por algum tempo, descrição onde elementos menos importantes não são lembrados pelos observadores a quem é solicitada a descrição. Outra coisa é o aparelho que segue o movimento do olho, produzindo um gráfico onde fica clara a busca de significação pelo movimento ocular.

Uma pequena foto pode conter um conhecer.

Anúncios

Written by Ivan de Almeida

21 de fevereiro de 2016 às 3:24 pm

Publicado em Sem categoria

2 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Olá

    Foi muito bom descobrir que vc voltou a escrever sobre fotografia.Parabéns e obrigado!

    Rui Loyola

    Rui Loyola

    27 de fevereiro de 2016 at 1:03 am

    • Obrigado, Rui. Sabe, a interrupção foi necessário, vejo isto agora, porque do contrário eu ficaria escravo. Mas agora estou livre, mais solto nos assuntos, e vou, depois consertar o blog, tantas fotos perdidas no site de fotografias que fechou. Um abraço

      Ivan de Almeida

      27 de fevereiro de 2016 at 1:19 am


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s